07/12/2018

Morre 2ª vítima de incêndio em prédio de Feira de Santana; mulher de 50 anos estava no HGE, em Salvador

Morre 2ª vítima de incêndio em prédio de Feira de Santana; mulher de 50 anos estava no HGE, em Salvador

Morreu na noite de terça-feira (4) a segunda vítima do incêndio em um prédio do condomínio Iguatemi, em Feira de Santana, a 100 km de Salvador, ocorrido na terça.

Emilia Lima Ferreira, de 50 anos, estava internada no Hospital Geral do Estado (HGE), na capital baiana. Ela foi transferida do Hospital Cleriston de Andrade com 100% do corpo queimado, e não resistiu aos ferimentos.

O incêndio já havia causado a morte da jovem Bárbara Brás Pereira, de 20 anos, que morreu no local.

Além de Bárbara e de Emilia, outras seis pessoas foram atingidas pelas chamas e ficaram feridas. Duas delas tiveram 100% do corpo queimado, incluindo a mãe da jovem. Elas também foram transferidas do Clériston Andrade para o HGE, junto com outra vítima.

Três feridos estavam no Hospital Geral Clériston Andrade, em Feira de Santana. Um teve alta ainda na terça-feira e os outros dois deixaram a unidade nesta quarta-feira (5).

Caso

O incêndio ocorreu durante a madrugada de terça-feira, em um prédio do condomínio Iguatemi, no bairro Mangabeira. Os moradores contam que o fogo começou às 4h30, na fiação elétrica, e terminou atingindo duas motocicletas que, segundo os bombeiros, estavam guardadas do lado de dentro do prédio, e, por causa da gasolina, as chamas se espalharam rapidamente. Como o edifício só tem uma entrada e saída, as vítimas, desesperadas, atravessaram as chamas.

O imóvel tem quatro andares e vinte apartamentos. Além do Corpo de Bombeiros Militar da Bahia, moradores do condomínio ajudaram a socorrer as vítimas. Os moradores do prédio receberam os primeiros socorros dos vizinhos.

A população reclamou da demora do Corpo de Bombeiros para chegar no local. "Quando o Corpo de Bombeiros veio chegar, a gente já tinha apagado o incêndio. Só tinha uma faísca de fogo ali, naquela caixa externa, no fio. Eles chegaram 1h depois do acidente, depois de tudo ocorrido", denunciou o auxiliar de serviços gerais Jackson Cerqueira.

Os bombeiros negam. "A gente levou em torno de 6 minutos, foi o tempo de resposta da gente, quando foi acionado. Foi em torno de 6 minutos do Tomba [bairro], na nossa base, até o condomínio aqui", contou o Tenente Coronel José Alberto.

De acordo com moradores do condomínio, a caixa de energia do poste que fica em frente ao prédio apresentou problemas na semana passada, e a Companhia de Eletricidade do Estado da Bahia (Coelba) foi acionada para verificar, mas não compareceu no local.

Em nota, a Coelba informou que não tem como se pronunciar sobre a reclamação dos moradores, porque eles teriam que apresentar o protocolo da solicitação para comprovar que a empresa foi chamada.

Fonte: G1 BA