15/03/2019

Ji-Parana: Prefeitura inicia plano de ação contra queimadas

Ji-Parana: Prefeitura inicia plano de ação contra queimadas

Para minimizar a incidência de queimadas no período de estiagem, a prefeitura de Ji-Paraná, por meio da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semeia), já iniciou um Plano de Ação para prevenir e combater este tipo de crime ambiental no município.

As estratégias de trabalho foram definidas ontem (13), durante uma reunião do Comitê de Prevenção e Combate às Queimadas. Participaram do encontro a secretária municipal de Meio Ambiente, Kátia Casula, a coordenadora da Defesa Civil, Meire Zanettin, o comandante do Corpo de Bombeiros, capitão José Aparecido dos Santos, o chefe da equipe de limpeza da Secretaria Municipal de Obras e Serviços Públicos (Semosp), Elder Eduardo e o fiscal da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Ambiental (Sedam), Elias Luna.

Ficou definido que este ano será feito um reforço na prevenção às queimadas, por meio de campanha publicitária e parceria com os veículos de comunicação. Além disso, serão feitos pit stops, reunião com presidentes de bairros e palestras educativas em escolas públicas e privadas, empresas e associações de moradores, além de produtores rurais.

“Nossa intenção é que a informação chegue a todos. Se a população colaborar, não precisaremos agir de maneira punitiva. Para aqueles que insistem em desrespeitar a lei, será necessário a autuação dos infratores. Temos que evitar as queimadas através de ações preventivas sim, mas sabemos que esse tipo de crime deve ser combatido com multas que podem ir além de R$ 5 mil”, ressaltou a secretária Kátia.

Outra decisão importante durante a reunião é que o Corpo de Bombeiros irá encaminhar diariamente à Semeia todos os Registros de Atendimento de ocorrências de queimadas para que a autuação seja feita.

De acordo com o capitão do Corpo de Bombeiros, Dos Santos, o Plano de Ação irá colaborar para evitar que nos meses de junho a setembro, quando é registrada a maior parte das queimadas, a população adote medidas de prevenção. “Nós atendemos somente casos que coloquem em risco residências, e ainda assim foram 163 registros em 2018. Sabemos que esse número é quatro vezes maior, pois não damos conta de atender todos. A população precisa colaborar. As causas dessas queimadas são sempre as mesmas. O morador quer limpar os terrenos com fogo e acaba perdendo o controle e aciona os bombeiros. Se a população não se conscientizar, fica difícil diminuir esses números”, explicou o capitão Dos Santos.

Registros

Os locais onde mais são registradas queimadas são na área rural, próximo da cidade e os bairros Primavera, Duque de Caixas, Jorge Teixeira, Capelasso, Colina Parque e São Pedro. Os horários mais comuns são das 13h às 19h e durante os fins de semana.

Fonte: Diário da Amazônia