09/02/2018

Corpo de Bombeiros quer zerar mortes por afogamentos em Santa Catarina

Corpo de Bombeiros quer zerar mortes por afogamentos em Santa Catarina

Durante todo o ano e, em especial na temporada de verão, o CBM (Corpo de Bombeiros Militar) atua na prevenção de acidentes e afogamentos. Um levantamento realizado pelo Centro de Comunicação Social do CBM aponta que o número de afogamentos seguidos de mortes em Santa Catarina durante o Carnaval vem diminuindo. Em 2016, quando o Carnaval foi entre os dias 5 e 10 de fevereiro, foram registrados três óbitos por afogamentos em praias e balneários catarinenses. Enquanto no Carnaval passado, entre os dias 24 de fevereiro e 1° de março, foi registrado um caso de afogamento seguido de morte, em todo o Estado.

Ainda no comparativo, que levou em consideração todas as ocorrências de praia registradas pelos guarda-vidas durante os carnavais de 2016 e 2017, o número de pessoas salvas por terem caído em correntes de retorno foi de 302 pessoas em 2016 e 275 salvamentos no Carnaval passado. O número de prevenções, ou seja, de orientações e/ou advertências de guarda-vidas para que as pessoas saíssem de áreas de risco continuou elevado, na casa de 300 mil. Este número é estimado na quantidade de pessoas ou vezes em que os guarda-vidas intervêm orientando ou chamando atenção de pessoas, no mar, na areia das praias ou no entorno.

Apesar da queda do registro de ocorrências graves nas praias na comparação entre os carnavais, nesse período de festas as ocorrências tendem a ser em maior número, quando comparadas com períodos de normalidade. Para o comandante-geral, coronel Onir Mocellin, que atua há mais de 30 anos durante a temporada de verão no litoral e regiões de balneários do estado, dificilmente o número de afogamentos é zerado durante o Carnaval. “Isso acontece especialmente em áreas não monitoradas por guarda-vidas, quando as pessoas acabam exagerando na quantidade de bebida alcoólica e vão se banhar depois”, diz o coronel.

Orientações do CBM

- Respeitar a sinalização das bandeiras e placas afixadas nas praias e postos de guarda-vidas;

- Não entrar no mar após ingerir bebida alcoólica;

- Supervisionar constantemente crianças, idosos e pessoas com necessidades especiais ou debilitadas;

- Se banhar em locais monitorados por guarda-vidas e próximos dos postos;

- Respeitar as orientações e advertências dos guarda-vidas;

- Em caso de emergências ligar 193.

Fonte: Notícias do Dia

Foto: James Tavares